domingo, 9 de julho de 2017

Sobre kalanchoes e resiliência

Sou uma observadora apaixonada pela natureza. Suas cores, seus ciclos. Seguidamente paro a contemplar suas manifestações e fotografar. E percebo que com ela aprendo muito sobre Tempo. Aprendo muito às vezes em meu próprio quintal. Tenho um carinho especial por uma florzinha muito comum, a kalanchoe. Há cerca de dois anos estou cultivandoalgumas em minha casa. Ganhei de presente, plantei. Elas parecias ter morrido, mas com paciência e dedicação, voltaram a florir. Hoje, mais uma vez, encontro com elas. Depois de um período de seca, estão novamente em flor... Lindas.

Essas simples flores me ensinam que assim é a vida. Feita de ciclos. Períodos de deserto, onde parece não haver mais nada a nos alimentar para dias bonitos. Mas eis que resistimos. E o tempo de florescer retorna. Porque são os ciclos da existência. Quando entendemos isso, que somos parte desta mágica Universal que é a vida e que os dias de seca, os de inundação, os de frio demasiado e também os de sol fazem parte... Nos conectamos com nossa força maior, a resiliência. Por fora, muitas vezes, seca planta, por dentro ainda seiva de coragem e esperança para aguardar os dias melhores, porque certamente eles voltarão ao nosso jardim.


Vivi dias tensos ultimamente. Não estava enxergando beleza nem sentido nas provações vividas. Mas sabem? Que bom que faz algum tempo já aprendi: a vida pode ser mais do que isso. E é. Então confio, sabendo a força e o valor de minhas raízes. E tal como a kalanchoe me sinto pronta para florescer mais uma vez.

Para essa semana que já vai começar, é isso que quero te lembrar: mesmo quando tudo na tua vida parecer sem perspectiva, resiste, aguarda, confia. Tenha certeza que tuas melhores sementes te retornarão em belas flores, em saborosos frutos. E nem se trata de otimismo, viu? É a lei da natureza. Dias de estiagem, dias de colheita. E, invariavelmente, os melhores dias também vão chegar.

Desejo uma semana muito feliz a cada um, onde se possa especialmente cultivar a certeza de que nosso destino é ser feliz. E nada vai impedir isso.

Um beijo,
Cláudia

domingo, 2 de julho de 2017

Mindset: comanda o teu e conquiste o mundo!

Nos posts sobre os novos hábitos que estão me levando a um estilo de vida muito mais saudável, uso a hashtag #mindset. Porque realmente, de tudo que conduz minha vida, é o mindset a mudança mais profunda. 

Mindset é nossa atitude mental, como organizamos nosso pensamento e reagimos às experiências pelas quais passamos. E todos os caminhos realmente significativos de quem busca fazer da sua existência uma experiência realmente evolutiva passa pelo mindset. Terapias, cursos, ferramentas, autoconhecimento. Todos te levam a organizar o teu comportamento mental. Sempre compartilho que falo com propriedade. De quem venceu uma depressão profunda. De quem resgatou a autoestima, depois de mais de uma década de opressão. De quem retomou a carreira interrompida por sete longos anos. De quem está deixando para trás uma vida inteira de obesidade e sedentarismo. O que aconteceu para toda essa guinada? 

Eu mudei a minha atitude mental frente ao que me acontece. Decidi encarar tudo pelo lado positivo, com gratidão pela oportunidade de crescimento que cada dificuldade me proporcionou. Decidi que sou mais forte e que não são as experiências negativas do passado que vão determinar meu presente ou futuro. Entendi o tamanho imenso da minha responsabilidade diante de tudo que almejo conquistar. Aquilo que eu quiser verdadeiramente, que me esforçar para, eu vou conseguir! 

Isso não significa viver um mar de rosas. Como é sabido, quanto maior a consciência, maior a responsabilidade. Talvez por isso, tantas pessoas tenham medo deste caminho de autoconhecimento e empoderamento. Significa uma vida com tantas dificuldades como sempre. Mas com a certeza de que em mim, concentro todas as capacidades de superá-las. 


Hoje eu te convido a mudar teu mindset. Exercita, nessa semana que está iniciando, toda a tua potencialidade de ser feliz. Não estou falando de viradas fenomenais, mas de pequenas decisões que na soma, vão te levar longe. Comanda teu mindset, assume as rédeas do teu destino, determina aonde deseja chegar, o que queres conquistar. Quando tu escolheres ter o poder sobre tua própria vida, nada nem ninguém vai te limitar! Experimenta!

Linda e produtiva semana!
Um beijo,
Cláudia

domingo, 25 de junho de 2017

Um post ao acaso


Hoje não tem post porque tirei o domingo para estudar uma nova palestra que fui convidada a apresentar amanhã. Tenho textos "no forno", mas não consegui arrematá-los ao meu gosto e objetivo.

Como me ensinou minha amada Coach Marina Mottin , sempre que se quiser equilibrar muitos pratos, um deles há de cair no chão. Em minha vida real de mãe, profissional, dona de casa e de quem busca cuidar disso tudo, mais de sua vida pessoal e social, hoje não deu tempo pro Meus Frutos.

Aqui. Porque o que tenho feito na vida é justamente seguir plantando uma sementinha aqui, outra lá e aos poucos elas vão frutificando. Essa palestra de amanhã nasce da palestra Ser Mãe é Sempre Especial, criada a convite do Projeto Borboletas, mas tem uma fala que vai além, para mulheres em situação de vulnerabilidade social.


Isto é o que mais gosto de fazer na vida. Falar para as pessoas, especialmente para as mulheres. Falar que a gente dá conta, sim, por maiores que sejam nossos desafios diários. Mas que pra isso a gente deve e pode e merece se colocar em primeiro lugar. Que a gente pode mudar nosso jeito de pensar e - na carona - mudar nosso jeito de agir e toda a nossa vida. Amanhã eu vou fazer isso mais uma vez. Então, será um fruto meu, compartilhado com meu próximo.

Daí que minha justificativa já virou post (hehehe) e o que eu desejo pra tua nova semana é que tu possas sentir essa alegria que sinto hoje, de correr atrás dos teus sonhos, do que te acelera o coração e te dá a inexplicável e maravilhosa sensação de ser a resposta para aquela pergunta: o que eu vim fazer no mundo? Sucesso pra nós!


Um beijo,
Cláudia

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Apologia à felicidade

Tenho compartilhado nas redes sociais meus novos hábitos de vida que estão resultando num processo de emagrecimento. E recebi algumas críticas, pois afinal sempre tive sobrepeso em minha vida adulta, chegando, inclusive, a ter obesidade mórbida. Com meu 1,62m de altura, já cheguei a pesar 116 quilos. Já fiz dietas restritivas e elas sempre funcionaram. Temporariamente. Desta vez, movida inicialmente por questões de saúde, mas na carona de uma nova forma de me ver e estabelecer novas prioridades – nas quais, eu me incluo – resolvi que ia mudar o estilo de vida. 

Então recebo algumas mensagens dizendo que virei a fit-chata e que agora só faço apologia à dieta e atividade física. Não é isso de que se trata. Se trata em fazer apologia à felicidade! Admiro sinceramente as pessoas que são felizes independente de sua forma física. A elas, meus parabéns! Mas a mim, o sobrepeso sempre foi um incômodo. Que me travava e fazia eu me sentir inferiorizada. Longo e árduo foi o caminho para que eu aprendesse a valorar o meu conteúdo. Fui aprendendo. Mas a forma, seguia me incomodando. Aos poucos, fui aceitando-a (e exatamente, como já falei de aceitação); quando me aceitei como era, fiquei pronta para mudar. 


A pessoa que sou hoje é uma pessoa que se ama cada vez mais. A ponto de priorizar numa agenda super corrida de mãe e profissional, os horários da academia. A ponto de usar a culinária, sempre vista como expressão de amor, para criar comidinhas saudáveis e saborosas nem que seja somente para mim mesma. Estou encantada, conhecendo músculos que não sabia possuir e superando os limites do meu próprio corpo. Redescobrindo sabores de uma alimentação cada vez mais natural. Fazendo apologia não de minhas novas escolhas especificamente, mas de cada um buscar aquilo que lhe faz sentir melhor, mais conectado com a vida! E que sempre é possível! 

Eu me redescubro e redescubro o caminho de ser feliz por mim e comigo. Sempre reforço: as mudanças visuais são apenas o reflexo de quem, com muito esforço, com muitas lições colhidas - algumas com dor, cada vez mais se aproxima de quem quer ser, de quem nasceu pra ser: uma mulher em equilíbrio, em paz e feliz.

domingo, 18 de junho de 2017

5 atitudes para virar o jogo: Ação

Então, chegamos ao fim da nossa série sobre 5 atitudes para virar o jogo. Para sair daquela situação que não queremos mais, que nos é desconfortável, que nos traz frustração ou infelicidade. Ou para ir adiante e buscar mais para nossas vidas. Uma mudança de emprego, de relacionamento, de cidade ou adotar um novo estilo de vida que, num primeiro momento, parece que não é pra nós. Mas a gente sabe que é possível virar o jogo! Quando aceitamos a situação para analisar melhor suas possibilidades; quando planejamos o caminho para mudar; acreditando que temos capacidade de chegar onde desejamos e convertendo os momentos de desafio em força propulsora. Então, o que falta?

AGIR. Arregaçar as mangas e fazer acontecer! As melhores teorias do mundo se tornam vazias se não postas em prática. Todos os passos até aqui foram pra te fortalecer e lembrar da tua imensa capacidade de fazer o que quiser da tua vida! De deixar pra trás o que não te serve mais e ir buscar o que deseja, o que te faz feliz, o que vibra teu coração! Não é a toa o dito que se mudamos a nós mesmos, podemos mudar o mundo. Pois o mundo tá aí fora, sedento pela tua atitude corajosa de jogar o medo, a procrastinação e as convenções para o alto e lutar para ser aquela pessoa que tu desejas, que tu estás destinada a ser. Principalmente feliz e realizada com suas escolhas. Sabendo que no meio do caminho, é possível mudar de ideia e virar o jogo tantas vezes quantas teu coração mandar. Não por receio de não dar conta, mas porque somos seres em transformação e o autoconhecimento sempre pode nos apontar novos caminhos.



Amanhã começa uma nova semana e eu te pergunto: o que tu poderias fazer agora, pra dar um passo adiante e mudar a tua vida dentro daquilo que tu sonha pra ti? Não espera a segunda-feira, começa hoje, revê os passos, olha em que estágio tu estás e VAI! É bem possível que, ao longo de nossas existências, desejemos virar o jogo várias e várias vezes. Eu quero te lembrar que tu podes, que tu tens capacidade e que quanto mais tu souberes disso, maior as chances de tu saíres campeão em todas as tuas investidas.

Te desejo uma semana vitoriosa!
Um beijo,

Cláudia

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Cuide da tua frequência vibracional

Tenho observado como é cada vez mais comum as pessoas cultivarem a reclamação. Como estão se tornando dramáticas com situações cotidianas. Reclamam de absolutamente tudo! E o pior é que não percebem que, muito mais do que se tornarem chatas aos olhos das outras, com essa atitude pioram todo o entorno de suas próprias vidas.
É reclamação porque acordou cedo. Reclamação porque está frio, porque está quente. Porque está cansada de sua rotina com os filhos. Porque um imprevisto gerou um gasto inesperado. Porque a casa está bagunçada. Porque o trabalho está chato. Porque recebeu uma visita inesperada! Gosh!

Meu convite, pelo teu bem é: pare de exercer a reclamação constante e a troque pela gratidão diária! Normalmente a gente reclama do que tem! Então, não reclame: agradeça! É real o dito que existem milhares de pessoas dispostas a trocar de lugar contigo. Mesmo que tu não consigas perceber. Agradeça acordar, simplesmente! Seja grata pela natureza, pelos filhos que gerou, por ter como – de um jeito ou de outro – arcar com as despesas não planejadas. Seja grato por ter uma casa, um emprego, pessoas que te procuram.

Quem reclama, baixa constantemente sua frequência vibracional. Vibra no negativo. E aí, não tem como atrair coisas boas para si. Ao contrário da Lei física de Coulomb, em que os opostos se atraem, quando falamos de energia, aplicamos os princípios da Mecânica Quantica. Reclamação gera mais motivos de reclamação. Gratidão gera oportunidades contínuas de agradecer ainda mais. Quando a gente despende tempo e energia para olhar para o que não está bom, colocamos o ruim no foco, damos poder e força a ele.


E como se eleva a frequência vibracional? Fazendo boas escolhas físicas, mentais e emocionais. Cuidando do teu corpo, se alimentando bem, descansando, cultivando bons pensamentos, lendo bons textos, ouvindo música de qualidade – já tentou relaxar com mantras? Negativismo atrai mais negativismo. Já quando se olha a vida e mesmo o cotidiano e seus desafios diários, com alegria e gratidão, atraímos situações coerentes com nossos sentimentos.

Como sempre, as escolhas são tuas. Viver chamando a atenção para si e seus infinitos dramas cotidianos ou escolher a consciência de ser feliz e grato por cada momento vivido?

domingo, 11 de junho de 2017

5 atitudes para virar o jogo: Conversão

Hoje chegamos à quarta atitude para virar o jogo. Acredito que é uma das mais importantes, ainda que fruto da soma das atitudes anteriores. A CONVERSÃO. Que nada mais é do que nossa capacidade de transmutar; transformar uma coisa em outra. Alterar um caminho, sentido, direção. A conversão é essencial para aqueles momentos em que nos deparamos com as dificuldades e os sentimentos aflorados por elas podem nos fazer pôr todo nosso planejamento por água abaixo.

Quando algo não sai como o esperado, quando nos frustramos , é natural acionarmos os sentimentos instintivos de raiva ou tristeza. O problema é que eles costumam nos conduzir a atitudes prejudiciais, ao outro, mas principalmente a nós mesmos. No afã de sairmos desses sentimentos, buscamos a compensação; seja em ações de vingança ou de indenização ao mal estar sentido. O que invariavelmente, depois, nos traz arrependimento.




Uns dias atrás, eu mesma experimentei uma grande frustração e consequente tristeza. E meu primeiro impulso para não sentir ou mascarar momentaneamente essa dor foi me permitir um prazer instantâneo. Pensei em comer doces ou até mesmo beber um pouco de refrigerante – hábito que aboli neste ano. Por sorte, travei antes. Minha racionalidade gritou: “Pera aí. Além de triste pelo o que outro te fez, tu vai te sabotar ainda mais, te afastando de teu objetivo de emagrecer e ter uma vida saudável?” Ufa! Bendita razão me fazendo aterrisar. O que fiz então? Fui pra academia e canalizei toda a energia negativa em prol de mim mesma, convertendo-a para o meu bem. Coloquei peso extra em todos os aparelhos e fiz meus exercícios movida pela força de quem queria superar aqueles sentimentos ruins. No final, saí feliz comigo; pela sábia escolha e por ter vencido limites da minha mente e corpo. O que o outro fez de errado comigo? Problema, escolha e caminhada dele! Ou seja, eu transmutei, eu converti o mal que me fizeram para o meu próprio bem.

Quando queremos virar o jogo, mudar de vida, as provas serão árduas e por diversas vezes encontraremos obstáculos. Eu vejo isso como uma prova de Deus ou do Universo com a gente mesmo: É isso que tu desejas? Estás certa disso? Converter a força de experiências negativas em atitudes construtivas eleva nosso autoconhecimento, autoestima e nos aproxima cada vez mais de nossos objetivos de vida. 


Pedras podem virar preciosos diamantes. Esse é meu desejo e meu convite para essa nova semana que vai começar. 

Um beijo,
Cláudia